Postagens populares

quinta-feira, julho 28, 2005

Além das Histórias


Aprender a ler significa também aprender a estabelecer vínculos entre um número cada vez maior de informações. Um bom estímulo nesse caso são obras que combinam características de gêneros diferentes (o romance histórico, por exemplo).A biblioteca de uma escola precisa de livros de diferentes naturezas, pois a diversidade representa uma grande contribuição ao enriquecimento cultural dos alunos: romances filosóficos ou históricos em que passagens importantes na história da humanidade ganham tratamento literário; depoimentos pessoais que falam sobre modos de vida em diferentes tempos e culturas; textos que compõem manuais e outras obras de referência (enciclopédias e dicionários) etc. Muito úteis na escola e fora dela, livros assim são recursos indispensáveis ao processo de aprendizagem, mas às vezes sua utilização requer um planejamento cuidadoso. Ao adotar uma obra como Volta ao mundo em 52 histórias, na qual as narrativas vêm acompanhadas de um rico aparato de informações complementares, o professor precisa estar atento para que os alunos aprendam sobre os temas tratados pelo conjunto de textos informativos, mas sem se distanciar da idéia de que a literatura é sempre, e antes de mais nada, fonte de emoção, de prazer, de diversão, de assombro, de encanto. Muitos títulos utilizam recursos literários para informar sobre determinados temas, como Histórias da Bíblia e Mistério de Natal. Outros ainda mesclam diferentes tipos de texto, como Robin Hood e os demais títulos da mesma série, ou como na Coleção Memória e História. Na série integrada por Robin Hood, podemos observar que os ilustradores se valem de obras de arte de diferentes épocas para obter os dados de que precisam ao criar as ilustrações. Como trabalhar com esses textos? Nas classes de educação infantil, as crianças estão aprendendo a aprender. O professor pode ter na sala livros que ofereçam informações próprias para alimentar as motivações que observa em seus alunos. Por exemplo, se está em curso um estudo sobre os animais de estimação, o livro A outra enciclopédia canina, com suas ilustrações variadas e seus textos bem-humorados, pode servir como desencadeador de conversas sobre os animais que as crianças têm em casa. O professor pode ainda fazer uma lista dos tipos e nomes dos bichinhos de estimação dos alunos e organizar um painel ou um álbum de fotos dos animaizinhos e seus donos, com legendas indicando o nome dos retratados. À medida que crescem e têm cada vez mais condições de vincular diferentes tipos de informação, as crianças podem ser incentivadas a ampliar seus conhecimentos com informações relacionadas a conteúdos escolares que não são necessariamente matéria de estudo. Por exemplo: conhecer a história dos números que utilizam nos exercícios de matemática, no livro Brincando com os números, ou a história da música ao longo dos tempos em Viva a música!. Para o ensino fundamental, nas primeiras séries, as pesquisas sobre temas de ciências naturais encontram ilustrações ricas em livros como ABC do zôo, uma espécie de dicionário ilustrado sobre animais do Brasil. Além de um apoio para estudos sobre a vida animal, ele pode ser um livro para o desenvolvimento de atitudes mais comprometidas com a defesa da fauna brasileira. A Coleção Quase Tudo O Que Você Queria Saber traz, ao final de cada volume, pequenas notas que indicam caminhos possíveis ao leitor, caso ele queira mais informações sobre os temas de alguma história contada no livro. O professor pode chamar a atenção dos alunos para esse fato. Já a Coleção A de Artista, da qual faz parte, por exemplo, M de Matisse, apresenta uma forma inusitada de biografia do artista e constitui um bom material de apoio para enriquecer as atividades da área de artes. Organizados em tópicos alfabéticos, são livros que trazem fatos da vida pessoal do artista, marcas da sua produção, lugares onde viveu, pessoas que influenciaram sua vida e sua obra etc. Nas classes da quinta à oitava série, biografias e contextos históricos de criação literária são conteúdos bastante pertinentes para o momento de formação do estudante e do leitor. Os alunos, já com noções de tempo histórico, podem aprender sobre a influência dos contextos históricos na produção dos escritores e construir condições de entender por que uma mesma história ganha diferentes versões ao longo dos tempos. Nos livros Histórias para aprender a sonhar e Raineke-Raposo, por exemplo, há informações sobre o ambiente histórico e as condições de produção das histórias, material precioso para esse tipo de trabalho..................................................................................................
Extraído do site www.ciadasletras.com.br - sala do professor - caderno de leituras

5 comentários:

Júlio disse...

Nada como um texto indicado por um arte-educador. rs

Lorena Serafim disse...

vc deve conhecer, mas tem um livro ótimo "Fabulas italianas" da compania das letras. são contos populares q o italo calvino organizou e deu uma adptada. eu adorei. beijos

miqu0kpfr82jvup disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mayana Bezerra disse...

Ainda n tinha visto o seu blog de cara nova =)
Adorei!!! As fotos principalment...e as carinhas das crianças?! Nossa!!!!!!! Isso q é realização...ver a expressão de uma criança na hora da história.
Parabéns!!!
Beijos...
Mayana Bezerra

Anônimo disse...

I found FLOWER for your WOMEN Deliver flower



sponsored links phentermine